&ev=PageView&noscript=1"/> Fluxo de caixa negativo: principais causas e como sair do vermelho
Financeiro

Fluxo de caixa negativo: como evitar e reverter essa situação?

Publicado em 29/06/2023
Fluxo de caixa negativo: como evitar e reverter essa situação?

Fluxo de caixa negativo ocorre quando os valores referentes às despesas de uma empresa são maiores do que a receita obtida. Basicamente, é o mesmo que dizer que é quando o negócio está operando financeiramente "no vermelho".

Assim como nas contas pessoais, obviamente, essa não é a situação mais adequada para uma companhia. Afinal, não ter dinheiro suficiente para a manutenção do negócio gera diversos problemas relacionados ao não atendimento dos compromissos financeiros.

Por exemplo, esse déficit pode fazer com que funcionários e fornecedores não sejam pagos, ou que sofram com atraso nos pagamentos. Situações como essas levam ao comprometimento do relacionamento com esses stakeholders e a uma cadeia de eventos que afetarão a entrega dos produtos e/ou serviços e a relação com o cliente final.

Como você deve estar imaginando neste momento, eventos como esses impactam também na credibilidade, confiabilidade e imagem da empresa, além de aumentar o risco financeiro decorrente da perda de consumidores.

Será que teria uma maneira de evitar o fluxo de caixa negativo e, por consequência, todos esses problemas? A resposta é, sim, existem algumas boas práticas que contribuem para que uma empresa não passe por isso.

Falaremos sobre elas agora, neste artigo. Portanto, siga a leitura e confira tudo sobre esse importante tema agora mesmo!

O que é fluxo de caixa negativo?

O fluxo de caixa negativo é uma situação que ocorre quando a empresa está com mais despesas a serem pagas do que receita para arcar com esses compromissos financeiros. Isso significa que a empresa está gastando mais do que está recebendo, o que pode levar a problemas financeiros significativos.

De modo geral, o fluxo de caixa é o que registra todas as movimentações financeiras de um negócio. Em outras palavras, contempla a gestão de todos os valores que entram e saem da companhia.

Dessa forma, esse gerenciamento contempla o registro pontual de todo o dinheiro recebido proveniente de vendas, juros de aplicações, resgates de investimento, entre outras fontes que geram receita (entrada de valor) para o caixa da empresa. Paralelo a isso, há também o controle ativo de todas as despesas (saídas de valores) com as quais o negócio precisa honrar para se manter funcionando, tais como salário dos funcionários, aquisição de itens para o estoque, pagamento de contas de consumo, aluguel, entre outras relacionadas.

Sendo assim, quando uma empresa tem um fluxo de caixa negativo, isso pode afetar sua capacidade de pagar contas, salários, fornecedores e outros compromissos financeiros. Além disso, pode limitar a capacidade da empresa de investir em novos projetos, expandir suas operações ou lidar com situações emergenciais.

É importante destacar que um fluxo de caixa negativo não é necessariamente um sinal de que a empresa está à beira da falência. No entanto, se essa situação persistir por um longo período, pode se tornar insustentável e levar a dificuldades financeiras graves.

Aproveite e leia também este artigo: "6 erros contábeis prejudiciais para seu negócio e como evitá-los"

Qual a importância de um bom fluxo de caixa?

Um bom fluxo de caixa é primordial para manter a saúde financeira da empresa e, consequentemente, seu sucesso e fluxo de crescimento.

Somente com o gerenciamento correto das entradas e saídas de valores é possível:

  • arcar com os compromissos financeiros e manter todas as contas em dia;

  • evitar que a empresa opere ilegalmente, decorrente do não pagamento de impostos e taxas, por exemplo;

  • investir no futuro do negócio;

  • fazer projeções financeiras mais confiáveis;

  • preparar-se para momentos de incertezas financeiras;

  • manter o bom relacionamento com os stakeholders, tais como fornecedores e outros parceiros de negócio.

Todavia, o fluxo de caixa negativo não permite esses resultados, levando à diminuição do patrimônio empresarial, dificuldades financeiras e, em casos mais graves, até mesmo à falência do negócio.

Ainda sobre o tema fluxo de caixa, aprimore seu conhecimento com as informações presentes neste artigo: "O que é fluxo de caixa operacional e qual a importância para o seu negócio?"

Quais são as principais causas do fluxo de caixa negativo?

Existem diversas causas do fluxo de caixa negativo. Entre as mais comuns que merecem sua atenção a fim de serem evitadas são:

  • precificação inadequada dos produtos e/ou serviços comercializados;

  • realização de processos ineficientes, a exemplo de gerenciamento de estoque incorreto, que tende a levar a perdas financeiras;

  • inexistência de um fundo de reserva que possa ser usado para cobrir gastos inesperados ou despesas não planejadas;

  • queda no volume das vendas decorrente de períodos sazonais, crises econômicas, chegada de novos concorrentes, mau atendimento, entre outros motivos relacionados;

  • falta de planejamento financeiro, ou planejamento financeiro inadequado, incompatível com a realidade do negócio;

  • controle de gastos ineficiente, ou até mesmo inexistente;

  • endividamento por conta de empréstimos contraídos, pagamento de contas em atraso que geram multas e juros, entre outros.

Como reverter um fluxo de caixa negativo?

Como dissemos logo na abertura deste artigo, existem algumas boas práticas que ajudam (e muito) a evitar o fluxo de caixa negativo.

Na lista das mais importantes estão:

  • precifique adequadamente as soluções que comercializa;

  • estabeleça uma boa dinâmica de controle financeiro;

  • identifique e reduza despesas desnecessárias;

  • renegocie dívidas e prazos de pagamento;

  • monte uma reserva de emergência;

  • conte com o suporte de uma contabilidade consultiva

Essas ações, não só evitam que o fluxo de caixa fique negativo como também podem ser usadas de forma estratégica para sair dessa situação indesejada. Por isso, acompanhe a seguir o que fazer na prática para reverter o fluxo de caixa negativo e sair do vermelho.

Precifique adequadamente as soluções que comercializa

Para chegar a uma boa precificação dos produtos ou serviços que comercializa, é bem importante considerar questões como:

  • custos para a fabricação ou entrega da solução;

  • margem de lucro esperada com as vendas;

  • valores cobrados do concorrente.

Ao fazer uma análise desse tipo, é possível chegar a um preço justo, atrativo para os consumidores, compatível com o mercado e que não gere fluxo de caixa negativo para o seu negócio.

Estabeleça uma boa dinâmica de controle financeiro

Como já explicado aqui, um bom fluxo de caixa contempla o acompanhamento pontual de todas as entradas e saídas de valores de uma companhia. Logo, para evitar que esse fluxo seja negativo, um controle financeiro efetivo é essencial.

Para chegar a isso, estabeleça uma rotina de registro, alinhada com a dinâmica da sua empresa e que garanta que nenhuma receita ou despesa deixe de ser devidamente anotada.

Identifique e reduza despesas desnecessárias

Ao fazer esse controle financeiro, você terá a chance de identificar despesas desnecessárias que sua empresa está pagando. Com isso, dependendo da origem, pode eliminá-las ou reduzir os custos. Dessa forma, consegue comprometer menos suas receitas e, como resultado, evitar um fluxo de caixa negativo.

Renegocie dívidas e prazos de pagamento

Mas caso sejam dívidas que não podem ser extintas no momento, uma alternativa é renegociar os valores que estão sendo pagos para quitá-la. Por exemplo, se for um empréstimo que está comprometendo boa parte da receita da empresa, pode ser bastante válido verificar se há como diminuir o valor das parcelas e/ou dos juros.

O mesmo princípio vale para prazos de pagamentos junto a fornecedores que, quando estendidos, evitam que contas sejam pagas com atraso, situação essa que, geralmente, leva ao pagamento de multas e juros que também afetam o fluxo de caixa da companhia.

Monte uma reserva de emergência

Como o próprio nome sugere, reserva de emergência é um valor guardado para ser utilizado apenas em situações realmente emergenciais. A ideia, portanto, é poupar uma parte da receita e destiná-la para esse fim.

Ao fazer isso, caso algum imprevisto aconteça, você não precisa retirar quantias do caixa da empresa para resolver a situação, o que também evita um fluxo de caixa negativo.

Conte com o suporte de uma contabilidade consultiva

Contabilidade consultiva é um tipo de serviço contábil no qual o contador atua mais próximo da empresa.

Nessa forma de abordagem, o papel desse profissional é mais estratégico, o que ajuda muito para tomadas de decisão mais racionais e planejadas, que impactam direta e positivamente no fluxo de caixa, evitando que fique negativo.

Além de garantir que as obrigações contábeis da empresa fiquem em dia, a contabilidade consultiva auxilia no planejamento contábil do negócio, ajuda a aprimorar a gestão de custos, fomenta o crescimento da companhia e muito mais.

A Mapah é uma empresa contábil que oferece contabilidade consultiva e outros serviços como:

  • auditoria;

  • gestão tributária;

  • contabilidade fiscal;

  • departamento pessoal;

  • assessoria legal.

Entre em contato agora, solicite uma proposta e confira todas as soluções contábeis que a Mapah oferece para o seu negócio!

 

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao navegar em nosso site, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir