&ev=PageView&noscript=1"/> Fusão de empresas e aquisição: entenda os diferentes tipos
Empresarial

Fusão de empresas e aquisição: entenda os diferentes tipos

Publicado em 28/03/2023
Fusão de empresas e aquisição: entenda os diferentes tipos

A dinâmica empresarial moderna é caracterizada por uma busca contínua por crescimento, competitividade e eficiência. Nesse contexto, a fusão de empresas e aquisições se destacam como estratégias-chave para alcançar esses objetivos.

Contudo, existem diferentes tipos de fusões e aquisições para que as empresas possam expandir ou afirmar sua presença no mercado.

Neste artigo, vamos mergulhar profundamente nesses conceitos, explorando o que são, os diferentes tipos que existem e como identificar a abordagem mais adequada para o seu negócio.

O que é fusão de empresas?

A fusão de empresas e aquisições, frequentemente denominadas "M&A" (do inglês, Mergers and Acquisitions), são estratégias de crescimento e consolidação empresarial que envolvem a reorganização ou expansão do universo corporativo. Para compreender profundamente esses conceitos, é necessário explorar suas características distintivas:

Fusão de empresas

Uma fusão é um pacto estratégico que ocorre quando duas ou mais empresas independentes optam por se unir para formar uma nova entidade empresarial. Essa integração pode se dar em diversas formas, incluindo fusões de iguais, onde empresas de tamanho e poder semelhantes se unem, e fusões por aquisição, onde uma empresa maior absorve uma menor.

Sendo assim, as fusões têm como objetivo principal a criação de uma única organização mais forte, capaz de competir de maneira mais eficaz em seu mercado de atuação.

Aquisição de empresas

As aquisições, por outro lado, envolvem uma empresa, denominada adquirente ou compradora, adquirindo total ou parcialmente os ativos, passivos e patrimônios ou ações de outra empresa, a empresa-alvo. As aquisições podem assumir várias formas, desde a compra de ativos específicos de uma empresa até a aquisição de sua totalidade.

Dessa maneira, as aquisições de empresas são frequentemente realizadas com o objetivo de expandir o alcance geográfico, adquirir tecnologia, ganhar acesso a novos mercados ou consolidar recursos financeiros e humanos para alcançar sinergias.

Ambas as estratégias, fusões e aquisições, visam aprimorar a posição competitiva das empresas envolvidas, mas elas diferem em termos de como isso é alcançado. Nas fusões, a integração é mais profunda, resultando em uma única empresa que opera sob um novo nome ou identidade. Nas aquisições, a empresa-alvo pode continuar a existir de forma independente, operando sob o controle da empresa adquirente.

O sucesso de uma fusão ou aquisição depende de uma série de fatores, incluindo o planejamento estratégico, a integração eficiente, a compatibilidade cultural e a análise cuidadosa dos riscos e sinergias envolvidos.

Portanto, compreender profundamente essas estratégias é fundamental para tomar decisões informadas e bem-sucedidas no ambiente empresarial dinâmico de hoje.

Tipos de fusão e aquisição de empresas

É fundamental saber que existem diferentes tipos de fusão e aquisição de empresas. Afinal, eles permitem que as empresas alcancem resultados diferentes no fim da operação realizada.

Veja as diferenças entre fusões horizontais e aquisições verticais, por exemplo. No caso de uma fusão de tipo horizontal, ela é ótima para que uma companhia amplie a sua participação no mercado. No entanto, para empresas que cresceram sob processos operacionais e culturas completamente diferentes, ela é um pouco mais complicada.

Por outro lado, em relação a uma aquisição do tipo vertical, os benefícios geralmente se dão em termos de eficiência e diminuição dos custos de produção. Entretanto, é preciso atenção especial a elementos como uma maior complexidade na cadeia de suprimentos, por exemplo.

É importante entender isso, pois a falta de conhecimento sobre o que cada solução apresenta dificulta qualquer tomada de decisão. É preciso que as instituições observem não só os seus objetivos, riscos e incertezas, mas também quais são as soluções possíveis para seus interesses.

A seguir, você pode conferir os diferentes tipos de fusão de empresas e aquisições. Acompanhe!

Fusão horizontal

Resultado da união de duas empresas concorrentes no mesmo mercado. Isso geralmente acontece quando a ideia é aumentar a participação de ambas no setor.

Temos um ótimo exemplo disso, no Brasil. Foi a fusão entre a Brahma e a Antarctica, criando a Ambev em 1999.

Fusão vertical

Neste caso, empresas que atuam em diferentes etapas de uma cadeia produtiva se juntam. Imagine uma empresa líder em matéria-prima, que se funde com uma companhia que fabrica os produtos acabados com excelente qualidade. Essa fusão pode ser útil para reduzir custos e melhorar a eficiência da cadeia produtiva.

Um exemplo clássico de fusão vertical aconteceu quando a Safeway, tradicional rede de supermercados americana, se fundiu com a CVS Health em 2015 para controlar a produção, distribuição e venda de produtos.

Fusão de conglomerados

É o que acontece quando empresas de setores diferentes se unem. Aqui, não existe relação direta entre as atividades delas. Ainda assim, é uma fusão que costuma criar verdadeiros gigantes no mercado.

Foi o que aconteceu na fusão entre a Time Warner, que atua no setor de mídia, e a Turner Broadcasting, voltada para o ramo de telecomunicações, no ano de 1996.

Fusão de concentração

É o tipo de fusão ideal para quem procura crescer geograficamente. No caso, empresas que atuam no mesmo setor, mas em diferentes mercados regionais, podem se unir para expandir sua presença geográfica.

Podemos citar como exemplo, a fusão entre a cervejaria belgo-brasileira Interbrew e a canadense Labatt em 1995. Na época, essa expansão gerou a maior cervejaria do mundo.

Aquisição de controle

Acontece quando uma empresa compra mais de 50% das ações de outra empresa. Dessa forma, ela assume o controle sobre a companhia.

Foi o que aconteceu quando a empresa de tecnologia Verizon obteve o Yahoo!, em 2016. Comprando 100% das ações da empresa de mídia, a Verizon passou a tomar as decisões sobre o Yahoo!

Aquisição de ativos

Neste caso, uma empresa adquire apenas os ativos de outra empresa. Eles podem ser prédios, maquinário, patentes, entre outros, não passando a controlar a companhia.

Um exemplo aconteceu com a compra da Motorola pelo Google, em 2011. No caso, o Google adquiriu a marca, patentes e tecnologias, entre outros, mas não a Motorola toda, que continuou existindo de maneira independente, como acontece até hoje. 

Vale ressaltar que o Google usou os ativos adquiridos para aperfeiçoar suas próprias soluções no mercado de celulares.

Aquisição de participação minoritária

Uma empresa pode adquirir menos de 50% das ações de outra empresa. Quando isso acontece, ela passa a ter uma participação minoritária no negócio, o que pode ser interessante dependendo da proposta.

Em situações assim, a empresa adquirente pode ou não ter poder de decisão na empresa adquirida. Tudo depende do seu percentual de participação e da situação dos outros sócios.

Veja o caso da Tencent que em 2017 adquiriu apenas 5% da Tesla. Com um investimento de 1,8 bilhão de dólares, a Tencent se tornou acionista de um projeto com elevado valor de mercado, permitindo que a empresa conseguisse exposição no mercado de carros elétricos e parceria estratégica interessante.

Fusões empresariais precisam ser entendidas como uma estratégia. Isso porque esse movimento permite:

  • expandir a presença de uma organização no mercado;

  • diversificar produtos e serviços;

  • desenvolver novas tecnologias;

  • entre outros.

Conheça, agora, alguns casos de organizações que se beneficiaram disso.

Exemplos de fusão de empresas

Fusão Vodafone e Mannesmann (1999)

Este exemplo de fusão foi um marco na história das telecomunicações. De um lado, estava a Vodafone, uma operadora móvel sediada no Reino Unido; de outro, a Mannesmann, uma empresa conglomerada industrial de propriedade alemã.

A compra da Mannesmann pela Vodafone foi a maior operação já feita. Seu custo foi de aproximadamente U$203 bilhões. Como consequência, ele permitiu à Vodafone dois benefícios:

  • expandir significativamente sua presença na Europa e;

  • consolidar sua posição como uma das maiores operadoras de telecomunicações do mundo.

Fusão AOL e Time Warner (2000)

Esta fusão gerou impactos significativos quando aconteceu. Especialmente para a imagem das empresas.

À época, a AOL era uma das maiores companhias de internet; já a Time Warner, constituía-se como uma das maiores empresas de mídia e entretenimento do mundo.

O anúncio da fusão entre elas ocorreu no ano 2000. No entanto, este acabou sendo um exemplo de fusão que não conseguiu alcançar os benefícios prometidos. Isso porque ela aconteceu apenas dois meses antes do estouro da bolha da Internet.

Fusão Gaz de France e Suez (2007)

Outro exemplo de fusão deu origem à GDF Suez, uma das maiores empresas de serviços públicos do mundo.

Ela permitiu à nova empresa ter uma presença significativa em todos os aspectos do fornecimento de energia, desde a produção até a distribuição. 

Além disso, este exemplo de fusão também foi visto como uma maneira da França manter o controle sobre sua infraestrutura energética.

Principais exemplos de aquisições no ramo empresarial

Além do que foi visto como exemplo de fusão, existe também o de aquisição. As aquisições também podem ser uma parte importante da estratégia de crescimento de muitas empresas. 

Como visto, elas têm o diferencial de permitir uma expansão mais rápida das operações empresariais, entre outros benefícios.

Por isso, os casos apresentados a seguir tiveram um impacto significativo em seus respectivos setores.

Aquisição da Activision Blizzard pela Microsoft (2022)

Em janeiro de 2022, a Microsoft anunciou a aquisição da Activision Blizzard, o maior fabricante de videogames do mundo. A aquisição, feita por $95 por ação, foi avaliada em $68,7 bilhões, envolvendo apenas dinheiro.

Como resultado, a aquisição permitiu à Microsoft fortalecer significativamente sua posição no mercado de jogos, onde segue como uma das protagonistas.

Aquisição da VMWare pela Broadcom (2022)

Em maio de 2022, a Broadcom, um fabricante diversificado de semicondutores, anunciou a aquisição da VMWare, uma das maiores empresas de software de virtualização do mundo. 

A aquisição, que foi feita em um negócio envolvendo dinheiro e ações, foi avaliada em U$61 bilhões.

No fim, o procedimento permitiu à Broadcom expandir significativamente sua presença no mercado de nuvem.

Aquisição da Marvel pela Disney (2009)

Em 2009, a Disney revelou um acordo significativo ao adquirir a Marvel Entertainment por U$4,24 bilhões, com a aprovação anunciada em 31 de dezembro.

A Disney concordou em pagar um total de $30 por ação em dinheiro e cerca de 0,745 ações da Disney para cada ação da Marvel detida. 

A aquisição permitiu à Disney expandir significativamente seu portfólio de propriedades intelectuais e fortalecer sua posição no mercado de entretenimento.

Os objetivos de fusão de empresas e aquisição

Como visto, fusões e aquisições são formas de integração empresarial. A ideia é que esse tipo de estratégia de integração seja adotada para fins como:

  • expansão de projetos;

  • diversificação da carteira de produtos;

  • aquisição de novas tecnologias e competências;

  • redução de custos;

  • ganho de eficiência;

  • inserção em novos mercados;

  • entre outros.

Como diferentes empresas naturalmente divergem em termos de cultura, identidade e gestão de recursos, tanto as fusões quanto as aquisições podem se tornar complexas sem um planejamento adequado.

Por isso, é importante ter atenção às análises a serem feitas diante de um processo de tal magnitude.

Como a fusão de empresas acontece?

A fusão de empresas é um processo complexo que pode ser desencadeado por diversos motivos, como a busca por crescimento, ganhos de eficiência, expansão geográfica, aquisição de tecnologia ou entrada em novos mercados. 

Para isso, existem algumas etapas de como a fusão de empresas acontece, como:

  • avaliação estratégica: as empresas envolvidas conduzem uma análise estratégica para determinar se uma fusão é a abordagem mais vantajosa para alcançar seus objetivos.

  • identificação de parceiros potenciais: as empresas buscam parceiros que complementem suas operações, recursos e metas estratégicas. Isso pode envolver negociações preliminares para entender a viabilidade e o interesse mútuo.

  • due diligence: as partes envolvidas realizam uma due diligence abrangente, examinando as finanças, operações, cultura organizacional, passivos, ativos e outros aspectos críticos de cada empresa para avaliar riscos e oportunidades.

  • negociação de termos e condições: com base nos resultados da due diligence, as empresas negociam os termos e condições da fusão, incluindo a distribuição de ações, a estrutura de governança, os papéis dos principais executivos, entre outros.

  • elaboração do acordo de fusão: um acordo de fusão é elaborado, detalhando todos os aspectos da transação. Esse documento é revisado por advogados, garantindo que todos os detalhes estejam alinhados com as leis e regulamentações aplicáveis.

  • aprovações regulatórias: dependendo da magnitude da fusão, pode ser necessário obter aprovações regulatórias de órgãos governamentais para garantir conformidade com as leis antitruste e outras regulamentações do setor.

  • aprovação dos acionistas: os acionistas de ambas as empresas votam para aprovar ou rejeitar a fusão. Uma maioria significativa é geralmente necessária para seguir em frente.

  • implementação e integração: após as aprovações necessárias, a fusão é efetivada, e as empresas começam o processo de integração. Isso envolve a fusão de operações, sistemas, cultura organizacional e recursos humanos para criar uma única entidade coesa.

  • avaliação pós-fusão: após a fusão, as empresas monitoram o desempenho da nova entidade e fazem ajustes conforme necessário. A avaliação contínua é crucial para garantir que os objetivos iniciais da fusão sejam alcançados.

Cada fusão de empresas é única, e as etapas exatas podem variar com base nas circunstâncias específicas de cada transação. O sucesso de uma fusão muitas vezes depende da cuidadosa preparação, execução eficiente e uma abordagem estratégica para superar os desafios associados a essa complexa integração empresarial.

Porque contar com uma consultoria especializada

Fusões e aquisições envolvem variáveis como finanças, legislações, contabilidade, entre outras. Sem falar em seus impactos na cultura organizacional, nos clientes e no mercado como um todo.

É por isso que conhecimento e experiência no assunto são imprescindíveis. É o que pode garantir maiores chances de sucesso para a operação, independentemente dos tipos de fusões e aquisições.

Nesse sentido, uma empresa especializada em fusões e aquisições pode ser muito útil. Ela consegue avaliar todos esses aspectos de maneira criteriosa, auxiliando na criação de um plano de integração, que pode fazer toda a diferença na criação do novo projeto.

Aspectos envolvendo valor de mercado, perfil de investidores, práticas de governança, entre outros, podem ser simplificados a partir dessa consultoria.

É o que faz a Mapah. Contamos com uma equipe preparada e altamente dedicada para ajudar a sua empresa com os diferentes tipos de fusões e aquisições. Ficou interessado? Acesse o nosso site e saiba mais sobre intermediação de negócios.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao navegar em nosso site, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir