&ev=PageView&noscript=1"/> Orçamento empresarial: o que é, vantagens e como montar
Financeiro

Orçamento empresarial: o que é, vantagens e como montá-lo

Publicado em 23/01/2024
Orçamento empresarial: o que é, vantagens e como montá-lo

O orçamento empresarial é um documento no qual são listadas todas as receitas e despesas de uma empresa de um determinado período. Entre suas aplicações, ele serve para os gestores fazerem previsões financeiras e, a partir delas, terem uma base melhor para tomar decisões para o crescimento do negócio.

Podemos dizer que se trata de uma ferramenta que ajuda a manter a saúde financeira de uma companhia, considerando que ela permite enxergar antecipadamente possíveis resultados e criar planejamentos mais estratégicos.

Veja, neste artigo, detalhes sobre esse documento, incluindo vantagens, importância e como montá-lo corretamente.

O que é um orçamento empresarial?

Um orçamento empresarial é um documento que detalha todas as receitas e despesas de um negócio, considerando um determinado período — geralmente um ano, mas podendo ser também mensal, trimestral ou semestral. Ele funciona como uma ferramenta para previsões financeiras e tomadas de decisão.

Entre as diversas aplicações desse tipo de orçamento, estão:

  • contribuir para o controle mais assertivo das despesas, a fim de promover a redução de custos e o aumento dos lucros;

  • identificar gastos desnecessários que podem ser eliminados sem afetar o funcionamento da companhia ou comprometer a qualidade do que é entregue aos clientes;

  • ajudar os gestores a tomarem decisões que impactarão positivamente o negócio no futuro;

  • aprimorar o planejamento financeiro, deixando-o muito mais estratégico;

  • definir metas mais claras e objetivos de como o dinheiro da empresa deve ser usado;

  • pautar decisões de investimento e divisão consciente de verbas, entre outras.

Qual é a importância do orçamento empresarial?

O orçamento empresarial é importante porque abre caminho para uma análise aprofundada das condições financeiras da empresa.

A partir dessa percepção, os gestores têm a chance de fazer projeções de valores que podem entrar e sair do caixa da companhia, considerar diferentes cenários financeiros e, com essa base, preparar melhor o negócio para evitar perdas financeiras.

Aqui, é fundamental ter em mente que somente por meio de diagnósticos que consideram dados anteriores é possível acompanhar a curva de crescimento da companhia. Inclusive, olhar para esse passado faz toda a diferença na hora de montar estimativas monetárias, tornando-as muito mais precisas e confiáveis.

Somado a tudo isso, essa ferramenta de gestão financeira também é importante porque ajuda a corrigir falhas na distribuição de valores entre as áreas da companhia, gerando a possibilidade de investimento mais naquelas que têm mais impacto no crescimento da marca, resultando no alcance de um retorno sobre o investimento muito melhor.

5 vantagens de ter um orçamento empresarial

O orçamento empresarial traz uma série de vantagens para o negócio. E as que mais se destacam são:

  1. visualização de quanto é preciso vender para alcançar um bom equilíbrio financeiro e ainda obter o lucro esperado;

  2. projetar quanto de fluxo de caixa é necessário para arcar com todas as despesas;

  3. prever meses menos lucrativos e criar estratégias para evitar prejuízos e geração de dívidas;

  4. organizar melhor as entradas e saídas de valores da companhia;

  5. identificar, com precisão, quais são as receitas e despesas e verificar o que pode ser melhorado para gerar mais lucro.

Quais são os principais tipos de orçamento empresarial?

Entre os principais tipos de orçamento estão:

  • orçamento estático;

  • orçamento ajustado ou revisado;

  • orçamento base zero;

  • orçamento contínuo;

  • orçamento matricial;

  • orçamento variável ou flexível.

Orçamento estático

Um dos mais adotados pelos gestores, consiste no lançamento e acompanhamento das receitas, despesas e lucro ao longo do ano, sem a possibilidade de alterações no planejamento orçamentário.

Isso significa que tudo o que foi projetado ou estimado precisa ser seguido à risca.

Orçamento ajustado ou revisado

Também chamado de forecast, nesse tipo de orçamento é possível fazer ajustes conforme as necessidades que forem surgindo ao longo do período. Por exemplo, caso surjam despesas imprevistas, é possível inseri-las no planejamento orçamentário.

Orçamento base zero

Comumente identificado pela sigla OBZ, esse modelo define o orçamento do ano seguinte sem considerar o anterior. Ele pode ser elaborado considerando estudos e análises do mercado de atuação da empresa.

Pode ser interessante para negócios que estão iniciando, por isso, não têm receitas e despesas anteriores significativas para servirem de base para planejamentos.

Orçamento contínuo

Também chamado de Rolling Forecast, nesse tipo de orçamento é feito o planejamento de 12 meses, ou seja, de janeiro a dezembro. Porém, ao final de cada um, é feita uma nova análise e criado um novo plano financeiro sobre os resultados obtidos até então.

Orçamento matricial

Esse tipo de orçamento tem como base de orientação a aprovação das despesas, o que contribui para um controle melhor e mais pontual dos gastos. Nele, não há liberação prévia de valores. A ideia é que todos passem pela aprovação dos gestores a cada nova necessidade de gasto.

Orçamento variável ou flexível

Permite a alteração das despesas considerando mudanças de cenários como aumento ou queda no volume de vendas e na produção. Para isso, devem ser definidos limites de mudanças de valor, a fim de evitar gastos superiores à receita, ou comprometimento dos lucros.

Como montar um orçamento empresarial?

Para montar um bom orçamento empresarial para o seu negócio, existem alguns passos básicos que precisam ser seguidos, que são:

  1. faça um diagnóstico da parte financeiras da sua empresa;

  2. defina as metas que pretende alcançar e em qual período;

  3. projete o volume de vendas necessários para gerar o lucro pretendido;

  4. estime o valor das receitas;

  5. liste as despesas e custos;

  6. calcule os ativos tangíveis e intangíveis;

  7. planeje quais serão os investimentos e as quantias;

  8. considere diferentes cenários financeiros a partir da análise de documentos financeiros como Balanço Patrimonial, Demonstrativo de Resultado do Exercício, entre outros;

  9. registre tudo em planilhas ou sistemas que facilitem o acompanhamento e a gestão desses dados e informações.

Considere ainda que você precisará de registros confiáveis de valores para montar seu planejamento. A melhor forma de garantir que tudo está sendo anotado corretamente é por meio de um exame preciso e minucioso das atividades financeiras da sua empresa.

Como fazer isso? Leia agora mesmo o artigo "Auditoria financeira: o que é e quando é necessária?" e descubra!

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao navegar em nosso site, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir