&ev=PageView&noscript=1"/> Qual a importância da auditoria interna na sua empresa?
Empresarial

Qual a importância da auditoria interna na sua empresa?

Publicado em 27/10/2022
Qual a importância da auditoria interna na sua empresa?

Quando fazer uma auditoria contábil? Na gestão de empresas, algumas boas práticas são indispensáveis para as organizações conseguirem se manter nas normas regulatórias.

Além disso, algumas estratégias são importantes para reforçar valores, como transparência e clareza. Dessa maneira, as companhias conseguem medir seu desempenho e mostrá-lo para o mercado e maximizar seus ganhos. 

Conforme a empresa expande e sua atuação cresce, em muitos casos é preciso assegurar o respeito às normas e a todas as diretrizes empresariais. No entanto, como averiguar esse alinhamento?

A resposta vem em forma de um procedimento muito importante conhecido como: auditoria interna. 

Auditoria interna: o que é?

A auditoria interna é uma atividade de apoio para a direção do negócio. Esse recurso é fundamental para a melhoria contínua da empresa. 

Afinal, mediante os resultados você consegue avaliar o desempenho, gerenciar riscos e garantir a segurança das informações. É um meio eficaz para identificar possíveis melhorias nos processos.

Seu olhar como gestor deverá buscar pelo funcionamento correto das etapas que compõem um processo de auditoria interna, cujo papel é:

  • Observar, mensurar e avaliar os riscos e controles da organização;

  • Manter a organização consoante com as políticas e leis;

  • Sugerir melhorias para a diretoria através dos resultados obtidos.

Atendendo as informações coletadas, é possível saber se a empresa está indo pelo caminho certo. Optar por auditores terceirizados é um bom investimento: eles conseguem ter outro olhar dos processos. A auditoria interna garante eficiência e segurança em cada processo da organização.

Para que serve uma auditoria interna?

A chave para compreender a auditoria interna é pensar que ela se trata de um procedimento independente. Com esse recurso, é a própria empresa que faz uma análise mais profunda de suas atividades.

A ideia é que isso permita garantir o controle interno da organização, de maneira que todas as ações se dêem conforme as normas. Consequentemente, a auditoria interna é útil para diferentes tipos de empresas, sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. Não se trata de um mecanismo para fiscalizar o que está sendo feito em busca de punições, mas sim, de um recurso capaz de organizar as ações sob uma ótica profissional.

Por isso, sempre que a auditoria interna é realizada, ela permite 4 benefícios importantes:

  1. A identificação de falhas.

  2. A criação de soluções.

  3. A melhor estruturação da governança corporativa.

  4. Transparência nos processos.

Quais são os principais tipos de auditoria interna?

A auditoria interna a ser feita precisa considerar a realidade de cada empresa. Alguns dos tipos mais comuns são os seguintes:

    • auditoria contábil: possibilita verificar os registros e procedimentos que têm a ver com o patrimônio da companhia. Essa análise se baseia tanto em regulamentos empresariais quanto em princípios contábeis. Trata-se de um ramo da auditoria que se dedica a combater fraudes e demais irregularidades financeiras ou fiscais.

    • auditoria fiscal e tributária: funciona visando verificar se a empresa está cumprindo com suas obrigações fiscais e tributárias em função da legislação vigente.

    • auditoria trabalhista e previdenciária: neste caso, avalia se a empresa está cumprindo com suas obrigações trabalhistas e previdenciárias.

    • auditoria financeira: pretende avaliar se há adequação dos processos financeiros da empresa em relação às regulamentações previamente definidas.

Como preparar sua empresa para uma auditoria?

Para se preparar para uma auditoria interna, é importante seguir alguns passos que podem ajudar a garantir que a empresa esteja pronta para o processo. Alguns desses passos são os seguintes.

1. Conheça o planejamento da sua empresa: a organização precisa de um planejamento que envolva todas as áreas. E ele deve estabelecer quem fará, o que precisa ser feito e em que prazo;

2. Envolva as equipes: é necessário aplicar as normas da qualidade em todas áreas da organização;

3. Padronize os processos internos: com a ajuda do setor de RH, a empresa deve elaborar o seu manual de processos;

4. Defina os objetivos: ao decidir pela realização da auditoria interna, o gestor deve ter clareza em relação ao motivo de realizá-la, além dos resultados que deseja alcançar;

5. Faça um planejamento anual das atividades: essa é uma forma eficaz de se preparar para auditorias. Esse plano deve indicar quais áreas passarão pelo processo e o motivo por que isso deve acontecer;

6. Conte com uma consultoria para ajudar nesse processo: um consultor pode, por exemplo, avaliar a situação financeira da empresa e apontar estratégias para melhorar sua organização e os resultados. Consequentemente, ele tem como auxiliar a gestão a se preparar para lidar com os movimentos do mercado. Isso inclui a elaboração de um plano anual para auditorias, entre outras ações.

Em resumo, a auditoria interna é muito útil para qualquer projeto. Por isso, o desafio em relação a ela acaba sendo fazer a organização dos processos adequadamente. Afinal, é isso o que pode simplificar as ações e viabilizar as abordagens a serem realizadas.

Quais são os principais tipos de auditoria?

Existem três tipos de auditorias. São elas:

  • Auditoria Interna – ou chamada de auditoria de primeira parte;

  • Auditoria no fornecedor – ou chamada de auditoria de segunda parte;

  • Auditoria externa – ou auditoria de terceira parte. Para fins de certificação para propósitos legais, regulamentares e similares.

  1.  Auditoria Interna ou de Primeira Parte

A auditoria interna é realizada pelas próprias empresas para auditar seus próprios sistemas, processos e procedimentos, assegurando que os parâmetros do sistema de gestão estão sendo seguidos à risca e os resultados esperados estão sendo alcançados.

Através da auditoria serão obtidas informações para a melhoria contínua do sistema de gestão, seja por não conformidades, observações ou oportunidades de melhoria.

Para realizar a auditoria é necessário ter colaboradores devidamente treinados na ISO 9001 e no sistema de gestão ao qual será auditado. Outra opção é a contratação de uma empresa para realizar a auditoria interna.

      2.   Auditoria no Fornecedor ou de Segunda parte

A auditoria no fornecedor é realizada pela empresa ou por outras pessoas em seu nome, visando avaliar a conformidade do sistema, requisitos legais e/ou contratuais.

Através dessa auditoria é desenvolvida uma relação de maior confiança com os fornecedores, além de potencializar os produtos com uma maior qualidade, minimizando os riscos e diminuindo as não conformidades.

Essas auditorias são partes integrantes de qualquer sistema de gestão e ferramenta essencial para a qualificação de fornecedores.

Avaliações realizadas nas auditorias de segunda parte:

  • Organização e qualificação dos recursos humanos; 

  • Cumprimento da legislação; 

  • Gestão e controle da qualidade; 

  • Política ambiental; 

  • Localização e acessos às instalações; 

  • Concepção e desenvolvimento do produto; 

  • Compras; 

  • Recebimento de matérias-primas; 

  • Produção e acondicionamento do produto final; 

  • Condições do trabalho (segurança, higiene, limpeza); 

  • Expedição e tratamento de reclamações.

     3.   Auditoria externa ou de terceira parte

A auditoria externa é realizada por um auditor independente (designado pelo órgão certificador credenciado pelo INMETRO) para fins de certificação do sistema de gestão do qual a empresa deseja.

O objetivo é verificar se o sistema de gestão de uma organização foi estabelecido, documentado, implementado e mantido de acordo com uma norma específica. A auditoria externa é a última fase do processo de certificação. 

Qual a importância da auditoria interna para a sua empresa?

A auditoria interna é uma ferramenta fundamental para a simplificar tarefas e eliminar gastos no processo, de modo a possibilitar que haja um controle interno constante. Desse modo, ela exerce um papel muito importante na gestão empresarial, sendo considerada uma ferramenta essencial no apoio aos gestores.

Assim, o auditor líder se preocupa com qualquer fase dos processos, em que possa ser de utilidade à administração. A vista disso, ele consegue trabalhar de forma específica para a evolução das atividades do negócio, permitindo uma empresa mais enxuta, transparente que possui um forte senso de melhoria contínua.

Logo, ao aderir essas características, o negócio se torna cada vez mais competitivo no mercado, oferecendo segurança para os seus colaboradores e uma transparência essencial dentro dos processos. Além disso, permite uma maior confiança dos controles internos, revelando se os indicadores analisados estão fazendo sentido.

A Mapah pode auxiliar a sua empresa por meio de uma contabilidade consultiva e focada na gestão do seu negócio. Entre em contato com um de nossos consultores e agende uma conversa.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao navegar em nosso site, você concorda com tal monitoramento.

Prosseguir